O BLOG

Uso este espaço para postar alguns temas que gosto: arquitetura, construção, sistemas construtivos, paisagismo, patrimônio cultural, arte, museus/museologia, design, escultura, finanças, fotografia, música, e outras coisinhas..

Este blog é fruto das minhas leituras, edito o que mais gostei...para nossa inspiração!

Obrigada pela visita e volte sempre.

Seja Bem-Vindo (a) !!!

Este blog foi elaborado pela arquiteta Marjorie Karoline © 2008-2016

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Jardim Iluminado

Atendendo a pedidos, segue uma postagem sobre iluminação para áreas externas..

Apreciar um jardim à noite é muito prazeroso, principalmente nas noites quentes do verão. Além de embelezar sua edificação, um jardim bem iluminado é sempre um convite a uma boa conversa noturna entre amigos e parentes. 

A iluminação artificial deve, no entanto, primar por algumas regras básicas:

1. As luzes brancas ou frias, ou seja, as lâmpadas a vapor, são extremamente fortes e devem ficar restritas à áreas públicas e/ou quadras esportivas.

2. Nas residências devemos usar as lâmpadas incandescentes e com média ou baixa intensidade de luz. O jardim iluminado à noite não deve e nem precisa ser igual ao jardim de dia.

3. Evitar o ofuscamento do observador pelo foco dirigido direto na altura de seus olhos.

4. Caprichar nos cuidados com a fiação
Os fios que passam por entre canteiros devem estar em perfeitas condições e serem enterrados para evitar-se tropeções. É muito interessante que se anote o caminho dessas fiações enterradas, para indicá-lo aos jardineiros. Acidentes e consertos são evitados dessa maneira simples.

Devemos usar luminárias produzidas para áreas externas. Estas luminárias têm condições de resistir à umidade, terra, etc. 
A aparelhagem para iluminação externa classifica-se em três tipos:


Difusor
A emissão da luz se dá por todos os lados e é homogênea, iluminando por igual todo um ambiente. Na maioria das vezes fica fixa sobre um poste ou na parede.

Projetor ou Refletor
A luz é dirigida, formando um facho de luz mais ou menos concentrado. Criam contrastes de claro e escuro e destacam objetos ou áreas. Pode ser fixo ou móvel.

Balizador
É um refletor que possui características para se iluminar áreas de circulação. Seu facho é dirigido para o chão, altura reduzida (sempre inferior a 50cm) e pequena intensidade de luz. São encontrados fixos ou móveis.
A utilização desta aparelhagem deve ser pensada e planejada para se tirar melhor proveito das características de cada um bem como a necessidade de valorização da área a ser iluminada. 

A maioria dos arquitetos paisagistas recomenda a colocação de um poste com uma luminária tipo difusor, de média intensidade na entrada, onde termina a rua e começa o jardim da frente, servindo como uma boa medida de segurança.

Desta forma tem-se a visualização de quem está se aproximando da casa.

Outro conselho é em caminhos de pedra ou escadas com poucos degraus colocar pequenos balizadores embutidos nas laterais, o que tornam tais caminhos muito mais atrativos e seguros. Iluminar o número da casa é também bastante importante. Para tanto, usam-se variados tipos de luminárias ornamentais fixas, que iluminam uma pequena área da parede, sem emitirem luz direta para os olhos do observador.

CJ674PAISAILUMINA_204
Camuflado na forração de tostão, o led gasta dez vezes menos energia em comparação às lâmpadas comuns, segundo o paisagista Odilon Claro

CJ674PAISAILUMINA_204
Majestosas palmeiras-garrafas delimitam a área da piscina, iluminadas por spots AR111 enterrados no solo. A medida valoriza os contornos das espécies de grande porte



Para o jardim, difusores criam uma área de luz homogênea e suave no terraço. Projetores ocultos pela vegetação lançam luz direta sobre uma fonte, ou destacam um conjunto de palmeiras e arbustos.

Por último: a iluminação tem poder de estimular passeios noturnos no jardim com a criação de focos de interesse usando fartamente balizadores para indicar caminhos entre os canteiros. 

Pode-se ainda atribuir elementos como tochas, luminárias encontradas em lojas de antiguidades.Tudo isto somado à criatividade valorizará muito seu jardim e, conseqüentemente, seu imóvel. 

No entanto, convém lembrar que é extremamente necessária a contratação de um paisagista, uma vez que ele indicará todas as medidas de segurança que deverão ser tomadas, bem como criará um desenho que traduza bom gosto e qualidade ambiental.

CJ674PAISAILUMINA_204
Espetos de aço inox guiam o visitante pelo corredor de helicônias, jasmins-do-cabo, árvores-do-viajante e agapantos.

CJ674PAISAILUMINA_204
O spots embutidos de LED (PAR38) destacam a beleza – e o comprimento – das palmeiras areca.
  


Iluminação de Jardim Iluminação de Jardim 

A iluminação artificial adequada realça caminhos, dá destaque a árvores e arbustos, multiplica o colorido das flores e, sobretudo, oferece segurança

A iluminação artificial conjuga a arte e a técnica para criar uma nova visão e proporcionar beleza, por realçar formas, cores e texturas com efeitos diversos.

Tipo de iluminação

Iluminação focal
Direcionada, ilumina um ponto específico do jardim: arbustos, arvores, esculturas e centros de interesse.

Iluminação indireta
Demarca levemente o jardim sem um foco de destaque; normalmente colocada por trás das plantas ou direcionadas para muros ou pisos

Iluminação geral
Ilumina amplamente o local, sem destacar nenhum ponto; percebe-se o jardim como um todo.

Tipo de aparelhos

Focos e projetores: são indicados para criar efeitos especiais, como o da iluminação focal. Devem ser posicionados a uma distância de 1/3 da altura do elemento a ser iluminado

Postes de iluminação
Indicados para iluminar uma área de maneira geral. É recomendável que tenham mais de 1.80m de altura para não ofuscar as vistas das pessoas. 

Balizadores e mini postes
Ideais para iluminar caminhos e elementos baixos de um jardim. Normalmente o raio de iluminação destas peças é igual a duas vezes e meia a sua altura. Também é viável que tenham menos de 1.10m de altura para não ofuscar. 

Armaduras e apliques
Normalmente proporcionam uma iluminação indireta, onde se percebe o contorno do local. Estes equipamentos devem ser específicos para as áreas externas: devem ter proteção contra sol, água, ventos, etc. Normalmente possuem vidros temperados, vedação eficiente e borrachas de pressão.
No projeto de iluminação para jardim deve se levar em consideração a função do jardim à noite; a arquitetura do local e o projeto do jardim. Além disso, deve prever a capacidade da rede elétrica disponível
Seja qual for a forma de iluminar jardins, a iluminação externa deve proporcionar segurança e beleza. 



Fotos Evelyn Müller
Noites tropicais

Românticas lanternas marroquinas, da Espaço Til, desenham uma penumbra nesta pérgola no Morumbi, em São Paulo, forrada de sapatinho-de-judia. No inverno, com a acácia-mimosa em floração, o astral é ainda melhor. Além das lanternas com velas, as pérgolas podem ser iluminadas a partir de spots de alumínio dispostos no chão com o foco voltado para a estrutura. Para isso, é necessária a instalação elétrica prévia para lâmpadas de, no mínimo, 50 W. Em meio à vegetação, as mesmas luminárias, da Luxsim, empregadas pela arquiteta Patrícia Perna, têm outra função: revelar a beleza da orquídea-bambu ao fundo.

Fotos Evelyn Müller

Fotos Evelyn Müller

À meia-luz

A iluminação que se vê refletida na piscina desta casa no Tamboré, em São Paulo, é resultado dos spots maleáveis de alumínio. Eles focam o inhame preto e o pandano, presentes próximo ao muro que contorna a área. “Procurei criar uma sensação de bem-estar e, por isso, utilizei lâmpadas de 50 W”, conta a paisagista Caterina Poli, da Grama & Flor. Elas valorizam, entre outras espécies, moreias, palmeiras-areca, flores-leopardo e bananeiras-de-sumatra. Espetos com pintura eletrostática, da Artlumi, sinalizam o caminho de mosaico português. Camuflados na grama, os spots embutidos de led com lâmpada PAR38 acentuam os contornos das espécies de maior porte.
Fotos Evelyn Müller


Sob os Holofotes

Para ganhar volume, as herbáceas peperômia, ripsális, columeia, flor-batom e a trepadeira hera receberam a luz intensa com focos abertos dos spots flexíveis de alumínio, da La Lampe. Os fios das peças com 50 W cada foram escondidos embaixo dos seixos rolados – saída que pode ser copiada em varandas e jardins sem iluminação embutida. O painel vivo de 3 x 2 m foi uma alternativa para resolver a falta de espaço para construir um jardim no corredor de justos 2 m de largura. No projeto assinado pela paisagista Elza Niero há também esguios palmitos, que se beneficiam da luz, neste caso, indireta.



Fotos Evelyn Müller


Luzes da cidade

Com 15 M², a varanda do paisagista Odilon Claro, no Morumbi, em São Paulo, concentra escolhas simples e eficientes. Colocados nos vasos de cerâmica chinesa, os spots de aço inox sequer são notados – para ligá-los, basta ter uma tomada por perto. “O led gasta dez vezes menos energia em comparação às lâmpadas comuns”, conta. O espaço adquire clima intimista graças às velas, distribuídas em lamparinas de piso e parede – estes, revestidos com ipê de demolição da Adorno Madeiras. Ao fundo, um painel vivo de fibra de coco exibe columeias, ao lado do xaxim com orquídeas chuva-de-ouro e rosinha-de-sol. Móveis e acessórios da Anni Verdi. Camuflado na forração de tostão, o led, da Luxsim, gasta menos energia



Dicas para iluminar jardins

Espécies de pequeno porte pedem lâmpadas de potências menores, de até 50 W. Para espécies maiores, é necessário, no mínimo, o dobro disso. Nesse caso, os modelos AR111 e PAR38 são os mais indicados.

Spots iluminam com eficiência os contornos de vegetações e arbustos de até 2 m. Eles são maleáveis e podem ser direcionados às plantas. Já os espetos possuem um alcance luminoso maior e, na maioria das vezes, são empregados como sinalizadores de caminhos e entradas.


As novas lâmpadas de led têm o mesmo efeito das convencionais, com a vantagem da alta durabilidade e da economia de energia – o consumo chega a ser dez vezes menor. Contudo, por se tratar de uma nova tecnologia, o custo é elevado.


Luminárias de aço inox duram, em média, dez anos. As de alumínio, quatro. Mas não é preciso jogá-las fora quando os problemas começarem a surgir. Alguns modelos disponíveis no mercado aceitam pequenos reparos, como troca de parafusos e fiação, além de nova pintura.


Para iluminar um vaso, opte pelo sistema led. A lâmpada não queima a planta e, por ser menor, pode ser camuflada com facilidade.

As luminárias de foco, ideais para jardins, basta fincar o espeto no piso, de pedra, de areia ou de terra.
Luminária tipo "mini candelabro" deixa o jardim com ar rústico e aconchegante.

Pontuando pelo piso do jardim as charmosas lanternas marroquinas dão um toque de sofisticação e romantismo.

Luminárias tipo "bola" em acrílico no piso, ilumina o jardim sem deixar a fiação exposta, a área foi coberta com pedriscos (pode usar também seixos rolados).

Se a área ajardinada a ser iluminada é livre de paredes, inspire-se na arquitetura mediterrânea,  colocando entre as palmeiras das Ilhas Canárias colunas de concreto para fixar as luminárias, fiação embutida pelo piso.

                
Os balizadores servem de guia para caminhos.



Fonte: Internet

Você encontra as luminárias em lojas especializadas e casas de materiais de construção em geral: Leroy Merlin, C&C e afins.. só não esqueça de comprar luminárias próprias para o uso de área externa.
Agora que vc já sabe... invente e deixe seu jardim bonito!

4 comentários:

  1. Muito bom o post explicativo.
    Falando de iluminação de palmeiras, vi a das palmeiras garrafa proximo a da piscina.
    Teria por ventura um projeto de custo com especificação de material a ser comprado e loja para fazer algo parecido?

    "Majestosas palmeiras-garrafas delimitam a área da piscina, iluminadas por spots AR111 enterrados no solo. A medida valoriza os contornos das espécies de grande porte"

    Gostaria de Informações sobre como fazer tal.
    Agradeço
    Lucas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Lucas, tudo bem?

      Agradeço o seu recadinho..

      Para maiores informações por gentileza, envie o seu email de contato ou escreva para marjoriekaroline@gmail.com

      Caso queira sugerir algum tema que seja de seu interesse,dar alguma opinião,sinta-se a vontade.

      Volte sempre!

      Atenciosamente,
      Marjorie

      Excluir
  2. Marjorie, Adorei as dicas e aprendi mais com vc... estou reformando minha chácara e apanhando justamente nesta parte! Se vc puder me indicar como iluminar uma entrada de Palmeiras Jerivá de uns 8 a 10 metros, com 14, sendo 8 de cada lado, mas de uma forma alternativa que não fique tão caro quanto a Led Refletor de 10W que vi que custa quase R$300,00 cada!!! Gostaria de algo bonito, durável e que não gaste muito até no máximo R$100,00, é posssível? Pq tenho outras palmeiras e outras plantas que também gostaria de trabalhar com a iluminação como você mostrou e achei lindíssimo! Grata, Abraços... Mirian de Oliveira fayra@ig.com.br

    ResponderExcluir
  3. Olá Mirian, como vai?

    O ideal seria realizar um estudo do local para melhor resultado..

    Quanto a valores, iluminação é algo um pouco caro.. É necessário pesquisar... Mas tudo depende do estudo preliminar do seu espaço para direcionamento de melhores opções de produtos.

    Abraços.

    ResponderExcluir

Os Comentários são moderados.
Não serão publicados comentários fora do contexto da postagem ou que utilizam de linguagem inadequada.