O BLOG

Uso este espaço para postar alguns temas que gosto: arquitetura, construção, sistemas construtivos, paisagismo, patrimônio cultural, arte, museus/museologia, design, escultura, finanças, fotografia, música, e outras coisinhas..

Este blog é fruto das minhas leituras, edito o que mais gostei...para nossa inspiração!

Obrigada pela visita e volte sempre.

Seja Bem-Vindo (a) !!!

Este blog foi elaborado pela arquiteta Marjorie Karoline © 2008-2016

sábado, 19 de novembro de 2011

Um balanço da década de 2000 - Reciclagem

Memorial da Imigração Japonesa/Centro Cultural KKKK, Registro, SP, Brasil Arquitetura
Memorial da Imigração Japonesa/Centro Cultural KKKK, Registro, SP, Brasil Arquitetura

Cultura leva milhões de pessoas a visitarem espaços reciclados
 
Apenas nos seus primeiros três anos de funcionamento, o Museu da Língua Portuguesa, que ocupou uma das laterais da Estação da Luz, em São Paulo, recebeu 1,6 milhão de pessoas. Mais novo, o Museu do Futebol, também na capital paulista, levou para baixo das arquibancadas do estádio do Pacaembu público de quase 1 milhão.

As duas instituições têm em comum o fato de surgirem da reciclagem de espaços em edificações históricas, uma vertente da arquitetura nacional extremamente fértil nos anos 2000, como já havia ocorrido na última década do século passado. Os dois museus, desenhados por Pedro e Paulo Mendes da Rocha e por Mauro Munhoz, respectivamente, têm outro ponto de interseção: seus acervos são, em boa parte, virtuais.

O Museu de Artes e Ofícios, em Belo Horizonte, criado pelo escritório AF&T Associados, também ocupa parte de uma estação de trens. Mas, em contraponto com a espaço dedicado a celebrar a língua pátria, possui farto acervo físico.

Ainda na capital mineira está um dos mais recentes projetos de transformação em prédios históricos, igualmente criado pelos Mendes da Rocha: o Museu das Minas e do Metal, uma requintada fusão de vidro e metal que faz parte do Circuito Cultural Praça da Liberdade.

Museu de Artes e Ofícios, Belo Horizonte, AF&T Associados
Museu de Artes e Ofícios, Belo Horizonte, AF&T Associados
Museu das Minas e do Metal, Belo Horizonte, Pedro e Paulo Mendes da Rocha
Museu das Minas e do Metal, Belo Horizonte, Pedro e Paulo Mendes da Rocha
 
Museu do Pão, Ilópolis, RS, Brasil Arquitetura 
Museu do Pão, Ilópolis, RS, Brasil Arquitetura
 
O repertório museu/reciclagem e a habilidade para equacionar esses programas distingue a produção do Brasil Arquitetura. Nessa vertente, são representativos o Museu Rodin, em Salvador, mesclando o moderno e o eclético, e o Museu do Pão, em Ilópolis, no interior gaúcho.

Neste, um moinho restaurado ganhou dois anexos que servem para espaço museográfico (mais transparente) e uma oficina de panificação (protegida por empenas de concreto). Ainda no Sul do país, o estúdio cooperou com o escritório de Oscar Niemeyer para viabilizar a implantação do museu que atualmente leva o nome do arquiteto, em Curitiba.

O Brasil Arquitetura também assina a reconstituição de um entreposto comercial em Registro, SP, para abrigar o Memorial da Imigração Japonesa e o Centro Cultural KKKK, projeto de resgate da memória da colonização no Vale do Ribeira. Um teatro com 250 lugares, caixa de elevadores e uma marquise, claramente assinalados, foram acrescidos ao conjunto de galpões fabris.

As funções de museu e centro cultural se integram na intervenção que Ana Paula Polizzo, André Lompreta, Gustavo Martins, Marco Milazzo e Thorsten Nolte (à época todos integrantes do Oficina de Arquitetos) fizeram em um prédio construído em 1918, para receber o Museu das Telecomunicações. O projeto foi escolhido entre 63 concorrentes de um concurso.

Mais amplo que a construção carioca, o Santander Cultural, em Porto Alegre, surge da conversão concebida pelo escritório de Roberto Loeb em uma edificação (concluída em 1931, a partir de projeto de Fernando Corona e Stephan Sboczak) que antes fora a sede de vários bancos. Cinema, uma das ações inseridas no Santander, é a atividade-fim da preciosa reformulação de um antigo matadouro, na Vila Mariana, São Paulo, que renasceu como sede da Cinemateca Brasileira. Na proposta assinada por Nelson Dupré, uma delicada cobertura de vidro tece a relação entre os antigos galpões.

Museu das Telecomunicações, Rio de Janeiro, Oficina de Arquitetos
Museu das Telecomunicações, Rio de Janeiro, Oficina de Arquitetos
 
Museu Rodin, Salvador, Brasil Arquitetura
Museu Rodin, Salvador, Brasil Arquitetura
 
Cinemateca Brasileira, São Paulo, Nelson Dupré
Cinemateca Brasileira, São Paulo, Nelson Dupré
 
Um conjunto de quatro salas de cinema funcionaram até meados da década de 1990 no prédio que hoje abriga o Teatro Abril Paramount, na região central de São Paulo. A transformação, regida por Aflalo & Gasperini Arquitetos, foi, de certa maneira, o reencontro da edificação com seu passado: destinada a espetáculos variados, ela recebe, predominantemente, grandes musicais.

Apesar de histórico, o Paramount tem menor significado arquitetônico que o antigo hotel Jaraguá, símbolo da arquitetura modernista criado por Jacques Pilon e Franz Heep e modernizado por Miguel Juliano para receber o atual Novotel Jaraguá.

A mesma função de hospedagem foi reativada no centro histórico de Curitiba com a reciclagem do Johnscher Hotel, que hoje opera como San Juan Johnscher. Humberto Fogassa coordenou o projeto de restauro e a equipe do Planotel Arquitetura viabilizou a modernização das instalações.

A renovação interna de um edifício do início do século passado entrou, com destaque, para o currículo do arquiteto José Armênio de Brito Cruz. A obra tem relação íntima com a arquitetura: trata-se da biblioteca da pós-graduação da FAU/USP, que ocupa uma ala do centenário casarão da rua Maranhão, criado por Carlos Ekman.

Brito Cruz é um dos sócios do Piratininga Arquitetos Associados, escritório responsável pelo projeto da sede da Associação dos Advogados de São Paulo, em imóvel de fachada eclética, da década de 1940, no centro da capital. As mudanças criaram uma área de pé-direito duplo que serve como foyer do auditório.

Tem programa similar ao de Brito Cruz o trabalho dos escritórios César Dorfman Arquitetura e Urbanismo e Paulo Zimbres Arquitetos, que inseriram a biblioteca central do Centro Universitário IPA-Metodista, em Porto Alegre, nas semirruínas dos anos 1920, recompondo o desenho original a partir das poucas paredes de pedra remanescentes. Na volumetria externa, as intervenções foram sutis.

Associação dos Advogados de São Paulo, São Paulo, Piratininga Arquitetos
Associação dos Advogados de São Paulo, São Paulo, Piratininga Arquitetos
 
Teatro Abril Paramount, São Paulo, Aflalo & Gasperini Arquitetos
Teatro Abril Paramount, São Paulo, Aflalo & Gasperini Arquitetos
 
Centro Educacional, Ribeirão Pires, SP, Rafael Perrone e Márcio do Amaral 
Centro Educacional, Ribeirão Pires, SP, Rafael Perrone e Márcio do Amaral
 
Solução diferente foi adotada por Ruy Ohtake no Centro Municipal de Educação Adamastor, em Guarulhos, na Grande São Paulo. Antiga fábrica têxtil reconvertida para uma mistura de centro educacional e cultural, o conjunto recebeu a companhia de um prédio de linguagem contemporânea e linhas curvas, recorrente na obra do profissional.

Em sua área, Ohtake é quase tão pop quanto o apresentador de TV Luciano Huck, idealizador do Instituto Criar de TV e Cinema, instalado em um galpão fabril na Barra Funda, zona oeste de São Paulo. Os arquitetos Fernanda Neiva e Sílvio Oksman adaptaram as instalações para receber os adolescentes de baixa renda que buscam no local formação técnica especializada.

A educação formal está no cerne das atividades do complexo que tomou forma em Ribeirão Pires, na Grande São Paulo, a partir de projeto de Rafael Perrone e Márcio do Amaral.
O centro educacional é constituído de três edifícios articulados por uma praça - um deles, um moinho do final do século 19, foi revitalizado, para abrigar o centro de qualificação de professores.

É obrigatório citar Recife entre as cidades que reciclaram com habilidade edifícios históricos. Um trabalho emblemático é o Paço Alfândega, sofisticado centro de compras que surgiu a partir de projeto do escritório Pontual Arquitetos. A construção original é de 1720 e foi anteriormente convento e armazém.

Enquanto os pernambucanos mais abastados passaram a frequentar o Paço Alfândega, em São Paulo uma mescla social mais diversificada fez explodir o número de visitantes do Mercado Municipal depois que esse marco paulistano passou por restauro, ganhando uma plataforma metálica que abriga uma cultuada “varanda gastronômica”. O condutor desse processo foi Pedro Paulo de Melo Saraiva.

Museu da Língua Portuguesa, São Paulo, Pedro e Paulo Mendes da Rocha
Museu da Língua Portuguesa, São Paulo, Pedro e Paulo Mendes da Rocha
 
Mercado Municipal, São Paulo, Pedro Paulo de Melo Saraiva
Mercado Municipal, São Paulo, Pedro Paulo de Melo Saraiva
 
Biblioteca do Centro Universitário IPA-Metodista, Porto Alegre, César Dorfman Arquitetura e Urbanismo e Paulo Zimbres Arquitetos
Biblioteca do Centro Universitário IPA-Metodista, Porto Alegre, César Dorfman Arquitetura e Urbanismo e Paulo Zimbres Arquitetos
 
Centro de compras Paço Alfândega, Recife, Pontual Arquitetos
Centro de compras Paço Alfândega, Recife, Pontual Arquitetos
 
Centro Municipal de Educação Adamastor, Guarulhos, SP, Ruy Ohtake
Centro Municipal de Educação Adamastor, Guarulhos, SP, Ruy Ohtake
 
Novotel Jaraguá, São Paulo, Miguel Juliano
Novotel Jaraguá, São Paulo, Miguel Juliano
 
Via Projetodesign

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os Comentários são moderados.
Não serão publicados comentários fora do contexto da postagem ou que utilizam de linguagem inadequada.