O BLOG

Uso este espaço para postar alguns temas que gosto: arquitetura, construção, sistemas construtivos, paisagismo, patrimônio cultural, arte, museus/museologia, design, escultura, finanças, fotografia, música, e outras coisinhas..

Este blog é fruto das minhas leituras, edito o que mais gostei...para nossa inspiração!

Obrigada pela visita e volte sempre.

Seja Bem-Vindo (a) !!!

Este blog foi elaborado pela arquiteta Marjorie Karoline © 2008-2016

sábado, 19 de novembro de 2011

A ARQUITETURA EGÍPCIA

No Egito antigo, teve início em 4000 a.C. e o término em 30 a.C.
A arquitetura aconteceu nas margens do Rio Nilo.

No início, a arquitetura egípcia era simples e todas as formas se originavam da casa residencial. Ela tinha plano retangular e dispunha-se em torno de palmeiras, ou de outras árvores.

Os arquitetos no antigo Egito era considerados as pessoas que realizavam os grandes sonhos dos faraós. O arquiteto possuía uma gama de trabalhadores que o cercavam tais como escribas e pessoas que faziam as medidas dos locais das obras. Qualquer tipo de construção envolvia uma grande logística e um planejamento que até hoje é abordado pelos principais egiptólogos.

Segundo Millard, 1975 – P. 40, “Os egípcios não tinham guindastes nem roldanas. Todos os seus monumentos foram erguidos com a ajuda de rampas de cascalho e areia. Os grupos de homens arrastavam blocos de pedra pelas rampas acima. Por vezes, colocavam-se rolos por baixo dos blocos para que se movessem mais facilmente. Os blocos eram dispostos em uma camada de cada vez. As pirâmides de Gizé são as maiores e as mais bem construídas de todas as pirâmides. Foram utilizados enormes blocos de pedras em toda a parte. O revestimento exterior era feito de blocos do mais fino calcário branco. Posteriormente, as pirâmides tornaram-se mais pequenas e algumas delas tinham pequenos blocos de pedra e cascalho no interior, enquanto outras apenas tinham tijolos de barro…

…Para construir um templo, os egípcios marcavam a planta no chão e depois colocavam as bases das colunas e a primeira camada de blocos para as paredes. Os espaços entre os blocos eram enchidos com areia, proporcionando uma superfície plana, sobre a qual se colocava a nova camada de pedras. Utilizavam uma rampa sempre crescente, ao longo da qual as pedras eram arrastadas. Depois de aplicada cada camada, acrescentavam mais areia para alisar de novo a superfície. A areia era então retirada e ao mesmo tempo, faziam-se as decorações.”

A arquitetura mais comum no antigo Egito eram os templos. Eles possuíam uma decoração que era inspirada na paisagem egípcia. Papiros, flores de lótus e palmeiras eram algumas das principais decorações dos templos egípcios. A entrada dos templos, geralmente era feita por caminhos que continham esfinges de ambos os lados. Os templos egípcios eram enormes e estavam sustentados por colunas.


 
Templo de Ramsés II em Abu Simbel

Porém sem dúvida alguma, as mais belas e impressionantes obras arquitetônicas do período faraônico foram as pirâmides. A pirâmide em degraus ou escalonada foi uma obra-prima idealizada pelo mais famoso arquiteto do antigo Egito; Imhotep para o faraó Djoser na terçeira dinastia. Antes de Imhotep o lugar de descanso dos faraós eram mastabas.



 
Pirâmide de Djoser


Posterior a pirâmide de degraus, surgiram outras pirâmides com formatos diferentes.
Foi na quarta dinastia que o desenho das pirâmides foram modificados originando as tradicionais pirâmides que conhecemos hoje. As mais famosas dessa arquitetura são as pirâmides do complexo de Gizé.

 
Pirâmides de Gizé (Giza)


As esfinges egípcias também eram uma bela forma arquitetônica. Geralmente existiam inúmeras esfinges que ficavam de ambos os lados das estradas que davam acesso aos templos. As esfinges mais comuns eram estátuas com corpo de leão e cabeça humana (geralmente de faraós).


 
Esfinge de Gizé (Giza)


Os obeliscos eram também outras formas de arquitetura egípcia. Tinham o formato de colunas com lados lisos e em sua ponta seu formato era triangular (piramidal). Sua principal função era de cunho religioso e servia para os egípcios homenagear os Deuses.



 
Obeliscos de Thotmes III e da Rainha Hatshepsut em Karnak


Existiam ainda outras formas arquitetônicas no antigo Egito. Como entradas de templos que eram uma verdadeira obra de arte, ou salas que eram sustentadas por diversas colunas, conhecida popularmente como hipóstila. Que apesar de fazerem parte dos complexos dos templos eram de uma beleza ímpar.


 
Hipóstila – em Karnak


Abaixo uma dessas entradas que foi construída no reinado de Ramsés III, onde retratam o faraó em sua extensão.


 
Templo de Ramsés III, Abertura Superior (Portal), em Karnak.


- A PIRÂMIDE ESCALONADA
A partir de 3650 a.C. inicia-se a época chamada das pirâmides, destacando-se o faraó Djoser, que construiu o primeiro grande edifício de pedra: a pirâmide escalonada, também conhecida como pirâmide em degraus.

- AS PIRAMIDES DE GIZEH
Por volta de 2575 a.C. foi desenvolvida a construção das pirâmides de faces lisas. As mais importantes são as pirâmides de Quéops, Quéfrem e Miquerinos A pirâmide Quéops sobressai como uma das criações mais espetaculares e geniais da história da arquitetura. A orientação da pirâmide permitia que os raios luminosos da estrela Sírio penetrassem na câmara do núcleo da pirâmide por meio de um conduto, no momento em que se anunciava o principio do ano egípcio e o inicio das inundações.


- COMPLEXO DE KARNAK

HIPOSTILO - O Novo Império, iniciado por volta de 1570 a.C., é marcado pela arquitetura religiosa, destacando-se os templos de Amon-Ra, no complexo de Karnak. Dentro desse complexo, o maior e mais belo edifício construído foi o hipostilo, que significa “teto sustentado por colunas”. Possuía 134 colunas e cada uma tinha aproximadamente 20m de altura. Os egípcios não conheciam a roldana, e os blocos que formavam estas colunas eram erguidos através de rampas feitas com tijolos de argila.





PORTAIS - Na entrada dos templos eram construídos portais, sendo que um dos mais belos foi construído durante o reinado de Ramsés III, cujas paredes eram inclinadas para dentro e decoradas com cenas de vitória do governante.

OBELISCOS – Eram esbeltos pilares de face planas, terminados em ponta e talhados num só bloco de granito. Em parte, sua função era religiosa, pois eram erguidos em homenagem ao Deus do Sol, e em parte, cerimonial, pois em suas inscrições havia as façanhas dos governantes humanos. O maior obelisco pesada 450 toneladas e media cerca de 30 metros de altura.

BIOGRAFIAS

DJOSER
Foi o segundo faraó da Terceira Dinastia do Império Antigo. Também Conhecido como Neterket, ele reiinou durante quase duas décadas. Foi responsável pela construção do primeiro edifício monumental em pedras do mundo, a pirâmide de degraus.

MIQUERINOS
Era filho do faraó Quéfren, e o quinto soberano da IV Dinastia. O faraó Miquerinos reinou pouco tempo, e por esse motivo não teve tempo de concluir sua pirâmide. Com sua morte a pirâmide foi terminada às pressas, várias partes ficaram inacabadas e seu revestimento em granito não passou da décima-sexta fila de pedras.

QUÉOPS
Foi um faraó da quarta dinastia egípcia, cujo reinado se estendeu por quase cinqüenta anos. Foi responsável pela maior pirâmide que já existiu, necessitando de uma forma de trabalho de cerca de cem mil pessoas empregadas durante vinte anos.

RAMSÉS III
Foi o segundo faraó da XX dinastia egípcia, considerado como o último grande faraó do Império Novo a exercer uma grande autoridade sobre o Egito.
Durante o reinado, o Egito foi atormentado por invasores estrangeiros e experimentou o início da dificuldade econômica e das guerras internas, que levaria ao colapso da XX dinastia.
Após a colonização de Canaã, Ramsés III tentou consolidar seu predomínio recrutando soldados. Por fim, Ramsés III, já idoso acabou sendo vítima de uma conspiração em seu próprio harém.

Via antigoegito.org

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os Comentários são moderados.
Não serão publicados comentários fora do contexto da postagem ou que utilizam de linguagem inadequada.